Processo Artesanal Mater

Processo Artesanal

Processo Artesanal Mater:

ELABORAÇÃO DA RECEITA

A primeira e uma das principais etapas do processo de produção. Para definir uma receita é necessário conhecer os insumos, as técnicas e processos, e saber o que cada detalhe irá resultar no nosso amado produto final. No entanto, uma boa receita não é nada se os processos produtivos não forem executados de maneira adequada.

MOAGEM

O malte contém, entre outras coisas, amido e enzimas. Estas enzimas vão transformar (quebrar) o amido em açúcares molecularmente menores, alguns fermentescíveis e outros não. A moagem vai abrir o grão para permitir que estes dois elementos se encontrem na próxima etapa.

MOSTURAÇÃO

O malte moído é misturado a água cervejeira e esta mistura, que chamamos de mosto, é submetida a temperaturas e pH específicos para a melhor ação enzimática. Ao fim se obtém um mosto cheio de açúcares (maltose, maltotriose e outros).

CLARIFICAÇÃO

Depois de extrairmos tudo o que precisamos dos grãos, precisamos eliminar o bagaço (casca e demais sólidos presentes no mosto). Isto é feito através de uma recirculação lenta do mosto sobre si mesmo e sobre um fundo falso que permite que apenas o líquido seja transferido para a próxima tina.

FERVURA

Aqui entra o lúpulo, responsável pelo amargor e perfil aromático de algumas cervejas. Durante a fervura também ocorrem algumas reações como a concentração, evaporação de impurezas, e esterilização do mosto.

FERMENTAÇÃO E MATURAÇÃO

Na fermentação os açúcares fermentescíveis são transformados em CO² e álcool, entre outros subprodutos. Para se obter uma fermentação completa e com o perfil desejado é feito um controle de temperatura criterioso. Na maturação, que ocorre logo após, está quase tudo pronto. Aqui é feita a retirada do fermento e o acabamento do produto, finalmente o produto fica pronto para ser saboreado pelos clientes, amigos e, claro, pelo time da cervejaria!

ENVASE

Com a bebida pronta, a mesma é acondicionada em garrafas ou barris. Como as cervejas da Mater não são pasteurizadas, para serem mantidas frescas, após o envase, barris e garrafas, vão para a câmara fria.

É importante destacar que cada cerveja é única, cabendo, portanto, ao cervejeiro fazer as escolhas de ingredientes e métodos de uso dos mesmos, a fim de extrair o máximo do que se espera de um insumo. E neste maravilhoso mundo das cervejas, as opções são tantas, incluindo, por exemplo, frutas (sumo, folhas, cascas, raspas), temperos, bactérias, leveduras exóticas, envelhecimento em madeira, entre tantas outras. O que importa mesmo é garantir o melhor processo e escolha de ingredientes, para dar a vida a cervejas originais e cheias de sabor.

Cervejaria: 

 

Facebook: